Webinar sobre Cenários para a Política e Economia

Convidado especial: Senador José Serra (PSDB-SP)

São Paulo, 09/02/2018 – O senador José Serra (PSDB-SP) apontou, em conference call realizada na tarde de 09 de fevereiro de 2018 pela GO Associados, os principais erros do atual governo. Segundo  Serra, um dos mais graves foi a comunicação em relação à necessidade de reforma da Previdência. “A ênfase do governo foi o combate aos privilégios, quando a principal justificativa deveria ser a garantia de que (com a reforma) os aposentados e os trabalhadores assalariados de hoje irão continuar recebendo uma aposentadoria no futuro”,  afirmou o senador. Serra acredita que será difícil a aprovação da reforma neste ano, que terá de ser tocada pelo próximo presidente.

 

Para Serra, há  uma fragilidade do governo brasileiro nas questões fiscais, cujos gastos corroem a receita. “Em 2017 tínhamos uma meta de déficit de R$ 162 bilhões e o resultado final foi de R$ 110 bilhões, um resultado muito bom, mas, ao analisar a receita do Estado, percebe-se que R$ 90 bilhões dos recursos foram provenientes de fontes atípicas, o que demonstra irregularidade e pouca sustentação na obtenção desses recursos. “Não é um cenário muito entusiasmante para o próximo presidente”,  afirmou o senador, que lembrou o enorme crescimento dos gastos com pessoal em 2017, 6,5% em termos reais.

 

Outro ponto importante lembrado por Serra foi o avanço dos gastos correntes (salários e previdência) do governo desde de 2004. “No Brasil, esses gastos ficaram na zona de rebaixamento: entre os 10 maiores no ranking de países emergentes. Além disso, percebe-se escassez de propostas de ajuste com qualidade e força para mudar tal cenário.”

 

Por fim, Serra comentou sobre a demora do governo para abaixar a taxa básica de juros em um cenário no qual já estava claro o fim da recessão. “Esse atraso resultou em uma atraso da recuperação”, afirmou.