Serviços se recuperam em novembro

O IBGE divulgou hoje que o setor de serviços apresentou alta de 1,0% em novembro, segundo a Pesquisa Mensal de Serviços, rompendo uma sequência de quatro meses seguidos de queda. O resultado ficou em linha com a projeção da GO Associados, que esperava alta de 0,9%. E um pouco acima da mediana do mercado, que esperava alta de 0,70%.

Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, o indicador registrou queda de 0,7%, trigésima segunda retração nessa base de comparação. No acumulado do ano, o setor registra queda de 3,4%.

Dentre as cinco atividades pesquisadas, quatro registraram alta no mês: serviços prestados às famílias (+0,9%), serviços de informação e comunicação (+0,9%), serviços profissionais (+0,2%) e transportes (+0,6%). Apenas o grupo outros serviços ficou estável no mês, e não registrou alta. Depois de quatro meses em queda, o setor voltou a crescer. Dentre os principais setores da economia, os serviços é o que está com a recuperação mais atrasada.

De toda forma, a tendência é que, conforme a recuperação econômica ganhe mais força ao longo de 2018, o setor acompanhe tal movimento. O indicador mensal de serviços deve registrar queda próxima a 3,0% em 2017, terceiro ano seguido de retração. Para 2018, a expectativa é de alta moderada de 2,0%.

Por fim, na segunda-feira (15), o Banco Central divulga o resultado do IBC-Br, considerado uma prévia mensal do PIB, referente ao mês de novembro. A GO Associados projeta alta de 0,4%, reforçando os sinais de recuperação da atividade.

Luiz Fernando Castelli
Economista-Chefe da GO Associados