Fique sempre atualizado

Minuto de economia

Fique por dentro de tudo que acontece.

MINUTO DE ECONOMIA

Estímulos fiscais ao redor do mundo e otimismo em relação àrecuperação da economia brasileira fazem Copom aumentara taxa Selicem0,75p.p. …

  • O Comitê de Política Monetária (Copom) aumentou em 0,75p.p. a taxa básica de juros, conforme indicado na ata da última reunião, ocorrida em março. A taxa básica de juros passou de 2,75% para 3,5% ao ano. É o segundo aumento consecutivo da taxa Selic em 2021. 
  • O Copom também indicou que para a próxima reunião (15 e 16 de junho) deverá haver um novo aumento na mesma magnitude. Isso levaria a Selic a encerrar o primeiro semestre em 4,25%.  

Metas de inflação e projeção da taxa Selic 

  • O comunicado do Copom destaca a continuidade dos estímulos fiscais e o avanço da vacinação no cenário internacional. 
  • Apesar do início da vacinação no Brasil, o comunicado continua ressaltando o cenário de incerteza, os efeitos econômicos da segunda onda e o risco fiscal que a necessidade dos atuais e novo gastos para enfretamento da pandemia podem acarretar. 

Plano Safra deve continuar a priorizar pequenos e médios produtores…  

  • Em audiência na Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados, a ministra Tereza Cristina destacou que o Plano Safra 2021/22 continuará priorizando os pequenos e médios produtores com crédito rural, dado que os produtores maiores conseguem adquirir financiamento através de outras fontes.  
  • Além disso, solicitou o apoio dos deputados para a breve aprovação do projeto do governo que abre crédito suplementar de R$ 19,768 bilhões. 
  • Apoiar a produção nacional é importante e tem reflexos em toda a economia. Em 2020, os alimentos foram protagonistas na inflação. O câmbio desvalorizado e o aumento da demanda asiática fizeram disparar o preço dos alimentos no mercado doméstico, com destaque para o óleo de soja e o arroz (que ficaram 103,79% e 76,01% mais caros, respectivamente, no acumulado de 2020). 
  • Como reação, o governo chegou a zerar impostos de importação de arroz em setembro de 2020 para atenuar a alta dos preços, o que causou descontentamento dos produtores brasileiros.  
  • Outra cultura que deve continuar a receber investimentos é o milho, pois sua produção vem batendo recordes há dois anos no país. De acordo com a ministra, a expectativa para a próxima safra é “muito boa”, de 108 milhões de toneladas, 17 milhões de toneladas a mais do que em 2020. 

Compartilhe essa publicação!

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Talvez essas publicações também te interessem!

Últimos Posts

Siga nossas Redes Sociais