Fique sempre atualizado

Minuto de economia

Fique por dentro de tudo que acontece.

MINUTO DE ECONOMIA

PEC dos precatórios também muda o teto de gastos e pode abrir quase R$100 bilhões no orçamento em 2022. Consequências negativas começam a aparecer… 

  • Foi apresentado um novo relatório da PEC dos precatórios (23/2021) que, além das medidas anunciadas anteriormente, reajusta retroativamente o teto de gastos.  
  • Hoje a regra permite a atualização dos gastos públicos pela inflação acumulada em 12 meses até junho do ano anterior. A ideia é passar o período para janeiro a dezembro, atualizando retroativamente os valores do teto desde 2016. 
  • Segundo cálculos do Diretor Presidente da IFI, Felipe Salto, a PEC dos precatórios deve liberar R$ 94,4 bi no orçamento. Sendo R$ 47 bi pela mudança no cálculo do teto e outros R$ 47,4 bi pelo parcelamento dos precatórios. 
  • Os sinais continuam a ser muito negativos do ponto de vista fiscal. O Presidente Bolsonaro anunciou novo benefício, dessa vez focado nos caminhoneiros, de R$ 400 a cerca de 750 mil caminhoneiros autônomos. A expectativa é de um gasto de R$ 4 bilhões com essa proposta. 
  • A tomada de poder pela chamada “ala política” causou uma debandada da equipe econômica do governo. Saíram: 
  • Bruno Funchal, secretário especial de Tesouro e Orçamento; 
  • Jefferson Bittencourt, secretário do Tesouro Nacional; 
  • Gildenora Dantas, secretária especial adjunta do Tesouro e Orçamento; 
  • Rafael Araújo, secretário-adjunto do Tesouro Nacional. 
  • O Ibovespa fechou em queda de 2,7% ontem e apresenta nova queda de 2,6% hoje. O dólar, por sua vez, ultrapassou a barreira dos R$ 5,70, sendo negociado a R$ 5,72. 
  • O aumento no risco fiscal além dos impactos imediatos, desvalorização da moeda e queda na bolsa, pode influenciar outra variável macroeconômica: a taxa de juros. 
  • Isso porque o Comitê de Política Monetária (Copom) estará reunido na próxima semana. Há incerteza sobre a magnitude do aumento na taxa básica de juros. O consenso anterior era de um aumento de 1 p.p., entretanto há apostas de elevações maiores, de 1,25 p.p. ou 1,5 p.p.. 

O que vai mexer com as expectativas nesta semana…     

No cenário doméstico:    

  1. O principal evento da próxima semana será a decisão do Copom, na quarta, dia 27. Enquanto até quarta o consenso era de aumento de 1 p.p., após as notícias de alterações no teto de gastos a expectativa se elevou, para um aumento de 1,25 p.p. ou 1,5 p.p..  A GO Associados, entretanto, acredita que a taxa aumentará 1 p.p., indo a 7,25%. 
  1. Ainda neste tema, a PEC dos precatórios deve ser votada no plenário da Câmara na próxima semana. Segundo cálculos do Diretor Presidente da IFI, Felipe Salto, a PEC deve liberar R$ 94,4 bi no orçamento. Sendo R$ 47 bi pela mudança no cálculo do teto e outros R$ 47,4 bi pelo parcelamento dos precatórios. 
  1. Há possibilidade de nova paralisação dos caminhoneiros no início de novembro mesmo após o anúncio de uma ajuda de R$ 400 a cerca de 750 mil caminhoneiros autônomos. A insatisfação da categoria com o preço dos combustíveis também está por trás da paralisação dos tanqueiros em Minas Gerais, que gera filas nos postos e desabastecimentos.  
  1. Um dos principais leilões do ano acontecerá na próxima sexta, 29. A licitação que envolve a Rodovia Presidente Dutra e a BR 101 no trecho entre Ubatuba/SP e Rio de Janeiro tem a expectativa de R$ 14,8 bi em investimento. 
  1. Além da questão fiscal e política, diversos indicadores serão divulgados ao longo da próxima semana. Na terça será divulgado o IPCA-15 de outubro, que ainda será parcialmente afetado pela mudança para a bandeira de escassez hídrica. A projeção da GO Associados é de 1,01%. 
  1. Na quinta, 29, será publicado o IGP-M de outubro. Após apresentar deflação no mês de setembro, o indicador deve voltar ao terreno positivo, com 0,16%. 
  1. Os dados do mercado de trabalho também serão divulgados. Na terça é esperado que o Caged de setembro seja divulgado enquanto na quarta, 27, a taxa de desemprego para o trimestre móvel terminado em agosto deve mostrar novo recuo, de 13,7% para 13,5%. 
  1.  Na próxima semana começa a divulgação dos principais balanços da economia brasileira. Os destaques são os balanços de Petrobrás e Vale, na quinta, dia 28. 

No cenário internacional:    

  1. O principal destaque internacional é a primeira estimativa do PIB dos EUA para o 3º trimestre. As últimas estimativas reduziram a projeção de crescimento do país para 2021. 
  1. Além disso, deve haver novas notícias sobre o setor imobiliário chinês e o caso Evergrande. As últimas notícias indicam que a companhia enviou uma ordem de pagamento de US$ 83,5 milhões, que deveria ter sido reembolsada inicialmente em 23 de setembro. Amanhã o período de carência destes títulos acabará e o default será tornado oficial caso a companhia não consiga honrar todos os compromissos. 
  1.  Ocorrerá reunião do Banco Central Europeu (BCE) na quinta. São esperadas mudanças na política de compras de título pelo BCE. 

Compartilhe essa publicação!

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Talvez essas publicações também te interessem!

Últimos Posts

Siga nossas Redes Sociais